Mostrar 551 resultados

Descrição arquivística
Missas Externas pelos Irmãos
PT ICPRT IC/B/030/032 · Subsérie · 1803-01-31 a 1803-09-27
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

Livros de róis de missas celebradas pelas almas dos Irmãos falecidos da Irmandade dos Clérigos do Porto, em Igrejas externas à da Irmandade.
Após a reforma do §1.º, capítulo 8.º dos Estatutos da Irmandade de 1782, em Junta Geral de 20 de Julho de 1788, a Irmandade dos Clérigos ficou obrigada a mandar dizer e pagar um total de trezentas missas por alma de cada Irmão falecido. No ano económico de 1802-1803, verificou-se que o número de missas a rezar era demasiado elevado para ser exequível realizar as mesmas na Igreja da Irmandade dos Clérigos. Por este motivo, foram encomendadas missas por alma dos Irmãos falecidos a diversas congregações e mosteiros - a saber: Santa Casa da Misericórdia do Porto, Colegiada de São Martinho de Cedofeita, Mosteiro de São Bento de Avé Maria da Cidade do Porto, Real Mosteiro de Santa Marinha da Costa (de Guimarães) e Mosteiro do Salvador de Paço de Sousa -, de forma a completar o número de missas necessárias para cumprir a disposição dos Estatutos durante o tempo de administração da Mesa em vigor no ano económico de 1802-1803.
Os registos contêm o nome do Irmão por quem se devem rezar as missas; a indicação de quantas missas faltam para completar o número de trezentas, instituído pelos Estatutos; o valor das esmolas; o nome dos sacerdotes que rezaram as missas, acompanhado do número respectivo da missa que cada um celebrou; a indicação de «pago» e a certidão do responsável em como as missas foram efectivamente rezadas e a respectiva quantia paga pelo Secretário da Irmandade dos Clérigos.

Receituários

Inclui o receituário prescrito pelo "Serviço Clínico" da irmandade aos paroquianos e irmãos da irmandade, suas viúvas e filhos. Os documentos contêm, entre outros elementos, informação sobre a medicação, o modo de usar ou tomar e a posologia. Geralmente encontram-se assinados pelo irmão enfermeiro e pelo facultativo.
Inclui ainda contas mensais do receituário aviado nas farmácias com ligação à irmandade; e, correspondência acerca do envio de seges e criados para a Caridade de São Nicolau, para o transporte de doentes ou para a realização de funerais.

Despesa da Irmandade
PT INSE ISSIE/GF/03/02 · Subsérie · 1763 - 1805
Parte de Irmandade do Santíssimo Sacramento da Igreja de Nossa Senhora da Encarnação

A série documental anterior designada por Receita e despesa da Irmandade (com a ref.ª PT-INSE-ISSIE/GF/03), subdivide-se, a partir de 1763, em dois subconjuntos documentais distintos: os livros de Receita da Irmandade (ver série com a ref.ª PT-INSE-ISSIE/GF/03/01) e os livros de Despesa da Irmandade. A presente subsérie documental é constituída por oito livros com registos da despesa da Irmandade, que continuam cronologicamente os da série anterior de Receita e Despesa e em relação aos quais são semelhantes, em organização e conteúdo. Alguns dos livros que constituem esta série abarcam mais do que um ano económico, como resultado do mesmo tesoureiro permanecer no cargo durante vários anos consecutivos. Inclui também, no final dos averbamentos da despesa, um resumo da mesma, a revisão das contas pelos irmãos contadores, o termo de encerramento das contas e termo de entrega das contas no final de cada ano económico ou quando existe mudança de Tesoureiro. Apenas os livros um e oito possuem índice, diferenciando as despesas como pertencentes à conta da Irmandade ou à conta de uma das testamentarias, sendo que, se forem da conta da Irmandade indicam apenas o fólio e, no caso de pertencerem a uma testamentaria, indicam o livro e fólio respectivo (Ver série com a ref.ª PT-INSE-ISSIE/GF/03/03, relativa à administração dos rendimentos legados pelos benfeitores). Os índices estão organizados por tipo de despesa, apresentando, da esquerda para a direita: o valor, a descrição da despesa e o(s)fólio(s) do livro em que se localiza o averbamento respectivo.

Administração de capelas e outros legados pios
PT INSE ISSIE/GF/03/03 · Subsérie · 1720 - 1768
Parte de Irmandade do Santíssimo Sacramento da Igreja de Nossa Senhora da Encarnação

Série documental constituída por dezanove livros e um caderno relativos à administração dos bens de testadores legados à Irmandade, em contrapartida do cumprimento de diversos encargos, como a celebração de missas, dotação de órfãs ou atribuição de esmolas a pobres. Estes livros dizem respeito aos legados da Condessa de Pontével, D. Elvira Maria de Vilhena; Marcos da Silva e sua esposa, Maria da Conceição; Filipe de Santiago Ribeiro; Maria Bárbara e seu marido Francisco de Sequeira; Luís Salinas de Oliveira e seu irmão Paulo de Bem Salinas; Maria Nunes da Silva; D. Antónia Francisca de Mendonça e João Rebelo de Campos; Padre Manuel de Sousa Caldeira; Estevão da Silva; Padre Pascoal da Costa; Nicolau Pereira; Domingos Lopes Coelho e sua esposa, Joana Maria da Silva; Francisco Ramos de Miranda e Teresa de Jesus Aurélia.

Contas do Cofre do Culto

Compreende a escrituração das contas do cofre do culto. Contém recibos das transferências de fundos do cofre do culto para o cofre da caridade pela "quarta parte das joias de irmãos novos e saldo da redução dos encargos pios"; livros auxiliares do cofre do culto; balancetes dos tesoureiros; livro da conta da receita e despesa da irmandade; livro das contas do cofre do culto; livros de receita e despesa do cofre do culto (1943-1973); entre outros.

Antunes, D. António
PT UCP/CEHR AALN/D/F/01/016 · Subsérie · [1935 - 1944?]
Parte de Arquivo Professor António Lino Neto

Contém cartas e cartões de D. António Antunes, [bispo de Coimbra entre 1936-1948], remetidos para António Lino Neto. Predominam as mensagens de agradecimento, os pedidos de recomendação de terceiros e de esclarecimentos de âmbito jurídico.

Barroso, D. António José de Sousa
PT UCP/CEHR AALN/D/F/01/029 · Subsérie · 1913 - 1917
Parte de Arquivo Professor António Lino Neto

Contém cartas de D. António José de Sousa Barroso, bispo do Porto [entre 1899 e 1918], remetidas de Coimbra e de local ilegível para António Lino Neto. Destaca-se a informação sobre o envolvimento de remetente e destinatário na defesa dos interesses da Igreja Católica.