Previsualizar a impressão Fechar

Mostrar 36834 resultados

Descrição arquivística
1177 resultados com objetos digitais Mostrar resultados com objetos digitais
[Órgão 2º]
PT ICPRT IC/D/044/0007/0002 · Documento simples · s.d.
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

Parte instrumental do Órgão [2º] do Te Deum Laudamus. Divide-se entre os andamentos ímpares e pares. Entre cada andamento par, é cantado o verso ímpar pelo coro e acompanhado pelo órgão [2º].
Está dividido da seguinte forma:
1 – “Te Deum Laudamus”
2 – “Te Dominum confitemur”
3 – “Te æternum Patrem”
4 – “Tibi omnes Angeli”
5 – “Tibi Cherubini et Seraphim”
6 – “Sanctus”
7 – “Sanctus”
8 – “Sanctus Dominus Deus Sabaoth”
9 – “Pleni sunt cæli et terra”
10 – “Te gloriosus Apostolorum”
11 – “Te Prophetarum”
12 – “Te Martyrum candidatus”
13 – “Te per orbem”
14 – “Patrem immensae majestatis”
15 – “Venerandum tuum”
16 – "Sanctum quoque Paraclitum Spiritum”
17 – “Tu Rex gloriæ Christe”
18 – “Tu Patris sempiternus es Filius”
19 – “Tu ad liberandum suscepturus”
20 – “Tu devicto mortis aculeo”
21 – “Tu ad dexteram Dei sedes”
22 – “Judex crederis esse Venturus”
23 – “Te ergo, quæsumus”
24 – “Aeterna fac cum Sanctis”
25 – “Salvum fac populum”
26 – “Et rege eos”
27 – “Per singulos dus benedicimus te”
28 – “Et Laudamus nomen tuum”
29 – “Dignare Domine die”
30 – “Miserere nostri”
31 – “Fiat misericordia tua”
32 – “In te Domine”
Depois do Finis encontramos uma melodia a 3/4 do versículo “Te ergo, quæsumus, tuis famulis subveni, quos pretioso sanguine redemisti”.

PT ICPRT IC/CCPNSM/0002 · Documento simples · 1638-07-09 a 1665-08-14
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

Brochura constituída por registos de admissão de Irmãos na Confraria dos Clérigos Pobres de Nossa Senhora da Misericórdia. Os assentos contêm dados como: data da petição para admissão na Irmandade ou data da entrada (dia, mês e ano); referência ao Irmão que ocupava anteriormente a vaga; motivo pelo qual vagou o lugar; nome, profissão, cargo e morada do suplicante; valor da esmola; entre outros.
Esta fonte contém termo de encerramento.

Confraria dos Clérigos Pobres de Nossa Senhora da Misericórdia
Testamento do Padre Bento de Souza
PT ICPRT IC/A/006/0002 · Documento composto · 1765-08-26 a 1769-00-00
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

Livro constituído por documentação relativa ao testamento deixado pelo Padre Bento de Sousa, Irmão da Irmandade dos Clérigos do Porto, natural da Freguesia de São Mamede de Valongo, assistente na Rua Direita de Santo Ildefonso, falecido em 1763-12-07.

[Empréstimo concedido a Ana Silveira da Conceição]
PT ICPRT IC/A/007/0002 · Documento composto · 1791-11-22 a 1912-10-29
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

Maço constituído por documentação relativa a um empréstimo concedido a Ana Silveira da Conceição. Para tal, a suplicante hipotecou uma propriedade de casas sita no Cais de Vila Nova de Gaia, à frente da nova Alfândega.

Alguns elementos identificativos da suplicante:
Ana Silveira da Conceição – natural de Vila Nova de Gaia, viúva e filha única de Manuel Gonçalves de Abreu e Rita Silveira de São José.

Livro de Correspondencia
PT ICPRT IC/A/010/0002 · Documento simples · 1868-07-30 a 1902-11-11
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

Entre os fls. 16v. a 17 encontra-se uma folha com um ofício original, redigido por Francisca Rosa de Jesus e dirigido ao Padre Joaquim, que supomos ser membro da Irmandade dos Clérigos.
Este livro contém termo de abertura (fl. 1) e termo de encerramento (fl. 156v.).

Conta Geral
PT ICPRT IC/A/017/0002 · Documento simples · 1781-00-00 a 1843-09-06
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

A partir do ano de 1783 para 1784 o registo de contas passa a ser apresentado lado a lado, dividindo-se entre"Deve" e "Haver".
Desde o ano de 1835 para 1836 o registo da conta geral de receita e despesa passa a ser apresentado em "Mapas”, divididos em colunas, por exemplo, nesse ano, de um primeiro Mapa consta: «Nomes das Caixas» (remissão para fólios de outros livros de contas, por exemplo: «Despeza Geral», «Souto», «Hospital»); Receita (registo de valores); Despesa (registo de valores); Excesso na Receita; Excesso na Despesa. Num segundo Mapa do mesmo ano registam-se: Receita (com remissão para os fólios da Conta do Diário); Despesa (registo de itens de despesa diversos). No fim das contas é registada a sua aprovação pela Mesa, tal como em anos anteriores.
Com termo de abertura no fólio [1].

Devedores N.º 2
PT ICPRT IC/A/021/0002 · Documento simples · [1797-11-04] a [1845-10-02]
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

Iniciada em 1836, esta fonte contém dados relativos aos devedores à Irmandade, organizados alfabeticamente e relativos às letras I a V.
A fl. 275 encontra-se um índice alfabético dos devedores registados no livro. Este livro contém termo de abertura (fl. não numerado) e termo de encerramento (fl. 280v.).

[Termos de eleição da Mesa 1863 a 1890]
PT ICPRT IC/A/033/0002 · Documento simples · 1863-08-12 a 1890-06-08
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

Neste livro, registaram também as eleições das Juntas Consultivas, que estiveram em funções nos anos económicos de 1875 para 1876 e de 1876 para 1877.
Esta fonte contém termos de abertura (fólio inicial) e encerramento (fólio 139).

Casas adjudicadas desde 1863 a 1871
PT ICPRT IC/A/037/0002 · Documento simples · 1863-09-00 a 1871-00-00
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

Registo da receita e da despesa com as casas adjudicadas dividido entre «Deve» e «Haver». Com Balanço geral da Receita e Despesa das Casas adjudicadas à Irmandade no final de cada ano económico (de Setembro a Agosto).
Com termo de abertura no fl. [1] e termo de encerramento no fl. 147v.

Missas dos Nosso Irmaus
PT ICPRT IC/B/030/0002 · Documento simples · [1797-05-01] a 1803-08-30
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

No fl. 1 encontra-se um termo de 4 de Abril de 1797 em que se determina que, no seguimento do registo a fl. 202v. do livro anterior (item 0001 desta série documental), o Tesoureiro da Igreja deveria mandar dizer 25 missas por alma de cada Irmão falecido, até completar o número de 300 missas, instituído pelos Estatutos da Irmandade.
Este livro contém termo de abertura (fl. 1) e termo de encerramento (fl. 200v.).

Alto
PT ICPRT IC/D/044/0001/0002 · Documento simples · s.d.
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

Parte vocal do Alto das Paixões de Domingo de Ramos, [1-12] fls., e de Sexta-feira Santa, [13-20] fls., de compositor anónimo.

Soprano
PT ICPRT IC/D/044/0011/0002 · Documento simples · 1789-00-00
Parte de Irmandade dos Clérigos do Porto

Parte vocal do Soprano da Ladainha em louvor da beatíssima virgem Maria Mãe de Deus. Divide-se nos seguintes andamentos: Verso Duo “Kyrie” e “Christe audi nos” (Largo), Verso a 4 “Pater de caelis Deus” e “Spiritus Sancte Deus” (Andante); “Sancta Maria ora pro nobis” (Largo); “Sancta Virgo virginum ora pro nobis” (Andante), seguindo-se toda a ladainha; “Consolatrix afflictorum” (Moderato) “ora pro nobis” (Andante); “Agnus Dei” (Andante); “Miserere nobis” (Largo).

"Anoitecendo a vida começa"
UCP/BUJPII RCVMG/F/02/0002 · Documento simples · [s.d.]
Parte de Ruy Cinatti Vaz Monteiro Gomes

Uma fotocópia da versão definitiva. Incompleto. Inclui estrofes dedicadas a João da Câmara, Francisco José Velloso, António Júdice Baião, Vasco Futscher Pereira, Gonçalo Henriques de Lencastre, Ruy Leitão.